Guerra de tecnologia e preço toma a banda larga
Talita Moreira De São Paulo Valor Econômico

As duas maiores operadoras de TV a cabo do país, Net e TVA, decidiram reduzir preços e aumentar a velocidade de seus provedores de internet em banda larga, acirrando a competição num mercado hoje dominado pelas operadoras de telefonia fixa. A concorrência e os ganhos de escala nesse segmento em franca expansão têm levado a uma combinação pouco usual: ofertas de serviços mais baratas e com tecnologia mais avançada.

A Net, que tem como principais acionistas a Globopar e a Embratel, aumentou para até 8 megabits por segundo (Mbps) a velocidade de conexão dos pacotes de internet que oferece. Para atrair assinantes, a TVA, do grupo Abril, adotou a estratégia de combinar pacotes mais baratos e rápidos do que os convencionais. Paralelamente, a Net obteve na Anatel licenças para fornecer conexão à internet a quem não é cliente de seu serviço de TV - algo que não podia fazer, até agora, por questões regulatórias. "Isso abre nosso mercado", afirma o diretor de produtos e serviços, Marcio Carvalho.

A internet rápida está deixando de ser um mero complemento à atividade de TV para se tornar um negócio importante nas empresas de cabo. Essa mudança é uma amostra do fim das fronteiras que tradicionalmente demarcavam os segmentos de televisão por assinatura e telefonia. Aos poucos, as operadoras de cabo também ensaiam seu ingresso no mercado de serviços de voz, com o uso de protocolo de internet - algo que já é realidade em países como os EUA. Para o consultor Alexandre Gärtner, da Voga Advisory, as empresas de TV representam uma ameaça inédita às teles.