DNS - Como funcionam

Páginas relacionadas :

DNS

OpenDNS

www.opendns.org

208.67.222.222

208.67.220.220

OpenDNS - Dê a sua opinião ! Ajude a Internet brasileira

Para que servem os DNSs ?

Reverse DNS Lookup

Lista atualizada dos DNS da BRT

Lista atualizada dos DNS do Velox

Veja como funciona um DNS Server :

Click here to view a multimedia presentation about NeuStar DNS Advantage

DICA: Normalmente as operadoras tem um e-mail abuse@operadora.com.br ou security@operadora.com.br que providencia as alterações no reverso, para quem tem conexão Business, Empresarial, Corporativa, etc...


Link Original - Clube das Redes
http://www.clubedasredes.eti.br/rede0006.htm

O DNS (Domain Name System), é um sistema de gerenciamento de nomes, hierárquico e distribuído, e opera segundo duas definições, são elas:

» Examinar e atualizar o banco de dados.
» Reproduzir a informação do banco de dados entre servidores.

DNS começou quando a Internet, era uma pequena rede estabelecida pelo Departamento de Defesa para propósitos de pesquisa. O endereçamento dos computadores nesta rede era administrado por um único arquivo de hosts localizado em um único servidor central. Cada rede que precisasse solucionar nomes de hosts em outras redes, carregava este arquivo. Como o número de hosts na Internet cresceu, o tráfico gerado pelo processo de atualização assim como o tamanho do arquivo de hosts, também, com isso, surgiu a necessidade de um novo sistema que oferecesse características como a escalabilidade aliada à administração descentralizada.
 
O sistema de distribuição de nomes de domínio foi introduzido em 1984, e com ele, os nomes de hosts residentes em um banco de dados pôde ser distribuído entre servidores múltiplos, baixando assim, a carga em qualquer servidor que provê administração no sistema de nomeação de domínios. Ele baseia-se em nomes hierárquicos e permite a inscrição de vários dados digitados além do nome do host e seu IP. Em virtude do banco de dados de DNS ser distribuído, seu tamanho é ilimitado e o desempenho não degrada tanto quando se adiciona mais servidores nele.
 
O DNS originalmente estava baseado nas RFCs 882 (Conceitos de Domínio e instalações) e 883 (Implementação de Domínio e Especificação), que foram substituídas depois pelas 1034 (Conceitos de Domínio e Instalações) e 1035 (Implementação de Domínio e Especificação). Existem outras, e estas, descrevem a segurança do DNS, sua implementação e partes administrativas do mesmo.
 
A implementação do DNS-Berkeley, foi desenvolvido originalmente para o sistema operacional BSD UNIX 4.3.
 
A implementação do Servidor de DNS Microsoft se tornou parte do sistema operacional Windows NT na versão Server 4.0. Como a maioria das implementações de DNS, teve suas raízes nas RFCs 1034 e 1035.
 
Na Versão DNS do Windows 2000 server, sua implementação se baseia nas RFCs 1034, 1035, 1886, 1996, 1995, 2136, 2308 e 2052.
 
Há dois tipos de zonas que podem ser criadas em um DNS, são elas:
1) Zona primária - Para a qual são feitas todas as atualizações para os registros pertencentes àquela zona.
2) Zona secundária - Que é representada por uma cópia de somente leitura da zona primária.

A Razão de sua existência e o entendimento prático
 
Ele existe, porque as aplicações utilizam endereços IP de 32 bits quando vão abrir conexões ou enviar datagramas IP, Entretanto, elas normalmente, identificam os hosts por nomes ao invés de identificar por números. O funcionamento básico está, em pegar o nome que a aplicação forneceu, e devolver o número IP correspondente, mas, isso acontece porque o servidores possuem algoritmos de pesquisas locais e remotas bem como um banco de dados com as informações sobre os domínios no qual eles são responsáveis.
 
O DNS é administrado por uma Autoridade de Inscrição de Nome na Internet, responsável por manter domínios de topo de nível que são nomeados através de organizações e por fim, por países. Estes nomes de domínio, seguem o Padrão 3166 Internacional.
 
Veja a seguir um exemplo que como a árvore de domínios se forma:

Na figura acima, você deve ter notado as abreviações existentes, elas são reservadas para uso através de organizações, como também, existem no último nível de abreviações antes dos nomes das entidades finais, abreviações contendo de dois a três caracteres que representam os países.

DNS Tipo de Organizações
com Organizações Comerciais
edu Instituições Educacionais
org Organizações Filantrópicas
net Redes (backbone da Internet)
gov Organizações Governamentais
mil Organizações Militares
num Números de telefones
arpa Reverso de DNS
xx Código dos Países (br, ar e tw como exemplo)

Para se encontrar o nome "empresa1.com.br" na Internet, pode ser necessário fazer pesquisa em até quatro servidores de nomes. Inicialmente é consultado o servidor central, denominado Raiz, que então, indica o servidor de nomes responsável pelo ".br", que indica em seguida o servidor responsável pelo domínio "empresa1.com.br".

Na maioria das vezes, não há necessidade de se fazer pesquisas a outros servidores, pois o servidor local que atende o host cliente que requisitou a pesquisa, guarda a informação em seu cache, tão logo ele faça a primeira pesquisa em um nome que não esteja no seu domínio, sendo assim, as futuras pesquisas serão fornecidas de maneira instantânea.

É possível também fazer pesquisas inversas, ou seja, fornecendo um número IP, o servidor devolve o domínio correspondente, e isso acontece porque, os servidores possuem uma zona de dados para resoluções inversas (Chamado de Reverso).
 
Nota: Para que um domínio seja registrado na Internet, é obrigatório o uso de pelo menos dois servidores de nomes responsáveis pelo domínio criado, e eles, podem ser construídos na infra-estrutura da própria empresa, ou em uma infra-estrutura terceirizada. Outra coisa importante também, no caso de ter o DNS montado na infra-estrutura da própria empresa, e ter o roteador de fronteira com a Internet devidamente configurado, para que as pesquisas e transferências de zonas sejam feitas de forma correta e segura.
 
(07/2000).
Revisado em (05/2004).
Luiz Carlos dos Santos

Revisão baseada no texto e gravuras enviadas por Michael Capela.